Ads Top

Suspeito de mandar matar advogados estaria envolvido em compra de sentenças no TJBA




Fazendeiro Nei Castelli teria prometido pagar até R$ 500 mil para matar dois advogados em Goiânia, em outubro do ano passado

 

Apontado como o mandante do assassinato de dois advogados em Goiânia (GO), o fazendeiro Nei Castelli, de 58 anos, estaria também envolvido na compra de decisões judiciais investigadas no âmbito da Operação Faroeste.

 

A investigação apura a venda de sentenças para legalização de terras no oeste da Bahia. O grupo criminoso seria formado por membros do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), além de advogados e funcionários do governo.

 

Inquérito sigiloso da Procuradoria-Geral da República (PGR), ao qual o Metrópoles teve acesso, relaciona Nei Castelli a supostas compras de decisões assinadas pela desembargadora do TJBA Lígia Maria Ramos Cunha Lima.

 

Lígia Cunha está presa desde o último dia 14 de dezembro. A PGR identificou a atuação direta da desembargadora em quatro processo e tráfico de influência em outro. Pela atuação, a magistrada teria recebido R$ 950 mil.

 

O fazendeiro é citado em dois desses processos, que tratam de uma disputa entre Castelli e a empresa Equatorial Transmissora S.A. sobre a construção de uma passagem de linha de transmissão na cidade baiana de Correntina.

 

FONTE: METRÓPOLES


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.