Ads Top

Salvador/Vídeo: Homem passou momentos de terror, preso em mercado na Bonocô



Carlos comprou muita coisa e demorou para colocar no carro. Quando quis sair, o portão estava fechado. Ele temeu pela sua vida, caso fosse confundido com ladrão.

 

Um homem passou por momentos de muito medo, aterrorizado pela ideia de ser confundido com ladrão e até mesmo a ser morto. Infelizmente nos últimos meses, pelo menos três pessoas morreram ao ser entregues a traficantes, depois de acusados de roubo em supermercados.

 

O baiano Carlos Santana passou cerca de 3 horas preso no estacionamento do Maxxi Atacado, após os funcionários fecharem os portões, sem se preocuparem em verificar se havia mais alguém no estacionamento. Carlos conseguiu sair do local por volta de 1:30 hs, após um supervisor chegar ao local.

 

Carlos fez acionar os alarmes, na tentativa de chamar atenção, mas não funcionou. Ele tentou ligar sem sucesso para a Polícia Militar e não conseguiu. Um casal de amigos passava pelo local, conversaram com ele e acionaram uma viatura, que parou no local, mas não pode fazer nada. Se ele fosse ladrão, ou confundido com ladrão, talvez a polícia teria arrebentado o portão para prendê-lo.

 

A saída do rapaz só foi possível após uma publicação feita pelo Correio da Bahia (Correio 24 Horas). Alguém da alta cúpula da empresa viu e acionou um funcionário para resgatá-lo do local.

 

Carlos relatou que foi uma situação angustiante: "Já tenho a pele mais escura, né? Eu rodando dentro daquele supermercado, porque quando eu desci as luzes estavam acesas. Ai pensei: daqui a pouco aciona o alarme aqui, daqui que eu explique que sou cliente, eles acreditarem, já tomei um tiro. Aí veio medo", conta.

 

Carlos acabou tendo prejuízos, porque muitas das mercadorias eram “frios” e descongelaram. Quem vai pagar a conta?

 

Segundo o Correio da Bahia, a Maxxi Atacado lamentou o ocorrido e diz que a situação não condiz com seus procedimentos internos. "O Maxxi Atacado esclarece que irá reforçar seu sistema e o efetivo de segurança da unidade Bonocô", acrescenta. Mas não falou sobre ressarcir os prejuízos tidos pelo Carlos, já que muita mercadoria descongelou, se deteriorando. Além disso, o rapaz teve prejuízos emocionais, que vão atormentá-lo por anos a fio.

 

Carlos chegou no local às 19:30 hs. Fez R$ 1.800 reais de compras. Saiu do caixa às 21:33 hs. Os portões se fecham às 21 hs, mas teriam que prestar atenção no estacionamento, o que os funcionários não fizeram.

 

O “me desculpe” feito pelo funcionário não é suficiente para reparar todos os prejuízos, sejam financeiros ou emocionais.

 



Informações e imagens: Correio 24 Horas

Vídeo: Redes sociais


 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.